Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Secções
Você está aqui: Entrada / Notícias / ESTGF foi parceira num projeto de investigação internacional

ESTGF foi parceira num projeto de investigação internacional

 

No decorrer do 2.º semestre do presente ano letivo, a ESTGF participou num projeto de investigação internacional em colaboração com a Universidade Federal da Paraíba – UFPB, com o título “ANÁLISE SOBRE CONFORTO TÉRMICO E DESEMPENHO NOS AMBIENTES DE ENSINO COM VIDEO DISPLAY TERMINALS (VDT): ESTUDOS DE MULTICASOS NO NORDESTE DO BRASIL E NORTE DE PORTUGAL”, coordenado pelo Prof. Luiz Bueno da Silva, com a duração de três anos e co-financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil.

2016-07-22 10:40

xs_projeto_investigacao_internacional.jpg
No decorrer do 2.º semestre do presente ano letivo, a ESTGF participou num projeto de investigação internacional em colaboração com a Universidade Federal da Paraíba – UFPB, com o título “ANÁLISE SOBRE CONFORTO TÉRMICO E DESEMPENHO NOS AMBIENTES DE ENSINO COM VIDEO DISPLAY TERMINALS (VDT): ESTUDOS DE MULTICASOS NO NORDESTE DO BRASIL E NORTE DE PORTUGAL”, coordenado pelo Prof. Luiz Bueno da Silva, com a duração de três anos e co-financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil.

No âmbito da colaboração, a ESTGF acolheu dois estudantes investigadores da UFPB (Ana Neves e Cláudio Falcão) que foram acompanhados pelo Prof. Paulo Oliveira, para efetuarem a recolha de diversos dados ao nível de parâmetros cardiovasculares e de conforto ambiental em contexto de sala de aula. O estudo abrangeu uma amostra de estudantes de turmas das Licenciaturas em Engenharia Informática e de Ciências Empresariais, aquando a utilização de equipamentos tecnológicos (PC e/ou portátil).

Para que fosse possível a viabilidade do estudo (fase de recolha), a ESTGF disponibilizou a sua estação microclimática, um sonómetro, um luxímetro e respetivos softwares. No decorrer das medições na sala de aula, os estudantes, em simultâneo, tinham que responder a testes de sequência lógica para avaliação do desempenho cognitivo, com registo do tempo e das calorias consumidas pelo organismo, aquando expostos aos parâmetros de conforto ambiental.

Contribuíram também para o projeto a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e a Escola de Engenharia da Universidade do Minho.

ampn | scre | drg | 22072016